Fumar aumenta o risco de sofrer um segundo câncer.

Fumantes que já tiveram um primeiro câncer têm muito mais riscos do que os não-fumantes de sofrer a doença novamente, em comparação com as vítimas desses mesmos cânceres que nunca fumaram.

Um novo estudo canadense mostra que fumantes que já tiveram câncer de pulmão, bexiga, rim ou cabeça, e que fumaram 20 ou mais cigarros por dia antes do diagnóstico multiplicaram por cinco o risco de ter um segundo câncer associado ao tabagismo .

A relação entre o tabaco e o segundo câncer é comparável à relação entre o tabagismo e o primeiro câncer, já que os fumantes têm cinco vezes mais riscos do que os não-fumantes que sofrem de câncer.

Este segundo câncer não se deve à metástase do primeiro câncer, mas sim a um novo tumor maligno, diferente do primeiro.

Fumantes que consumiram menos de 20 cigarros por dia e ex-fumantes que haviam saído antes do primeiro diagnóstico também apresentam maior risco de sofrer um segundo câncer devido ao tabagismo, em comparação aos sobreviventes que nunca fumaram, mas o risco diminui à medida que os anos passam desde que a parada foi interrompida.

Lembre-se de que fumar é responsável por 30% de todos os tipos de câncer e está associado a um risco aumentado de sofrer de 17 tipos de câncer.

Artigo completo publicado no Journal of Clinical Oncology.

Ainda sem comentários.

Deixe um comentário

Pode também interessar-lhe