Cremes solares: perigosos para você e responsáveis ​​por uma mudança drástica nos ecossistemas subaquáticos.

Pensamos que nos protegem da radiação ultravioleta e nos permitem desfrutar dos raios solares sem limites, evitando o envelhecimento prematuro da pele, com riscos de câncer. Mas o protetor solar também é responsável por mudanças drásticas nos ecossistemas subaquáticos do planeta.

Desconhecido nos anos 80, o protetor solar é hoje o produto essencial do verão. Os profissionais de saúde têm se comunicado há anos sobre o perigo da radiação solar, e os espanhóis não hesitam em se ungir da cabeça aos pés.
No entanto, estudos recentes mostram que essa atitude não é saudável.
Protetor solar polui os oceanos

Pesquisadores espanhóis descobriram que os cremes solares eram uma autêntica praga para a flora subaquática.
Todos os anos, 25.000 toneladas de suncream são deixadas nos oceanos do mundo por banhistas. Destas 25.000 toneladas, 4.000 são depositadas nos recifes de corais que morrem em 48 horas.
A causa é o dióxido de titânio (TiO2), o principal componente do filtro solar, uma molécula reflexiva que dispersa os raios solares. É também um oxidante muito ativo que é usado em plantas de tratamento de água.
Expelido no oceano, o dióxido de titânio não é diluído, mas afunda até 5 metros de profundidade, sendo muito tóxico para os corais e várias espécies de fitoplâncton.
Este estudo também revelou a quantidade significativa de nutrientes no filtro solar, especialmente fosfatos e amônia, que contribuem para a proliferação de algas, ameaçando o equilíbrio do ecossistema submarino.
Desreguladores endócrinos em protetores solares
Os filtros sintéticos ou químicos, agentes ativos do creme solar, vêm da indústria petroquímica, com a qual são potencialmente distúrbios químicos que podem acabar a médio prazo, causando disfunções hormonais mais ou menos importantes. Pessoas com câncer dependente de hormônio nunca devem usar esses cremes.
Por outro lado, o dióxido de titânio, princípio ativo contra os raios UV, é classificado como provável carcinógeno pelo CIRC (International Center for Cancer Research). O uso de protetor solar com crianças pequenas parece muito problemático.
No entanto, ao contrário dos protetores solares clássicos, os protetores solares orgânicos são essencialmente compostos por filtros minerais, como o óxido de zinco, que não penetra na pele e não representa risco ao meio ambiente.
E o óxido de zinco reflete os raios do sol da mesma forma que seu equivalente químico, o dióxido de titânio. Usando o mesmo índice de proteção solar, os protetores solares ecológicos protegem a pele e os cremes solares clássicos.
Como todos os cosméticos com o distintivo "Ecocert" ou "Cosmebio", os cremes solares garantem 95% dos ingredientes de origem natural, sem parabenos, sem perfumes e sem conservantes sintéticos.

 

Cremes recomendados:
- Ecocosmética em www.biobio.es
- Creme solar (fabricado em Espanha) em www.conasi.eu
- Você também pode encontrar creme solar Avene na farmácia, mas não é orgânico.

Fonte: planetoscope.com

Pode também interessar-lhe